UnB divulga segunda chamada para vestibular indígena

Dez estudantes indígenas ingressarão, no 2º semestre de 2009, em cinco graduações da Universidade de Brasília (UnB). Os alunos foram convocados em segunda chamada, no processo seletivo destinado a estudantes indígenas, para os cursos de Agronomia, Enfermagem e Obstetrícia, Engenharia Florestal, Medicina e Nutrição. Confira a lista abaixo:

 

 

Curso                                                            Nome

Agronomia                                                 Jonatas Freire dos Santos

Agronomia                                                 Elvineide Maximo Alves da Silva

Enfermagem                                              Vilma Benedito de Oliveira Pego

Enfermagem                                              Uelzo Alves Vieira

Engenharia Florestal                                 Joseane Santos das Neves

Engenharia Florestal                                 Rilmara Araujo Correia

Medicina                                                  Wertley de Oliveira Matos de Melo

Medicina                                                  Bruna Bastos Gonçalves

Nutrição                                                  Washington Leandro da Silva

Nutrição                                                   Ademir do Nascimento Silva

 

A segunda chamada deste vestibular indica os aprovados para o 2º semestre letivo, já que as 20 vagas da seleção foram divididas entre os dois semestres de 2009. As datas de registro e matrícula dos aprovados serão divulgados em data posterior.

CONVÊNIO – O processo seletivo é resultado do convênio entre a UnB e a Funai, firmado em março de 2004 e faz parte do Plano de Metas para a Integração Social, Étnica e Racial da UnB. O plano estabelece, em linhas gerais, que a instituição se responsabiliza pela disponibilização das vagas – que podem chegar a 20 por ano – e pelo apoio acadêmico necessário aos estudantes. Já a Funai indica os cursos de interesse das comunidades indígenas, encaminha os candidatos e proporciona auxílio que garanta a manutenção dos aprovados em Brasília.

Os cursos são escolhidos levando em conta a necessidade de profissionais da área nas comunidades indígenas. Na UnB, os estudantes aprovados recebem acompanhamento do Serviço de Orientação ao Universitário (SOU), além de apoio psicopedagógico individualizado e orientação acadêmica durante o curso.

Destaques

Paresi agredido em MTEm São Carlos/SP nesta segunda-feira (18), a secretária nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Sandra Terena, visitou indígena que teve o...

class="O indígena é livre e tem espontânea vontade para fazer o que quiser." A frase do Karapanã, de apenas 13 anos, retrata com perfeição a inusitada vida que leva e o faz destaque na nossa página neste dia 19, Dia do...

class=Pangùbàà panzanì mene mangà panbàt pìt tikìà. Numa tradução aproximada do tupi-mondé, a oração que abre essa matéria quer dizer: estudar é o melhor caminho a seguir. Seja na língua materna do Povo Cinta Larga ou em português, alcançar o conhecimento é expandir possibilidades. Com esse pensamento, jovens dessa etnia começaram a frequentar os cursos técnicos de Meio Ambiente, Comércio e Agropecuária do Instituto Federal do Mato Grosso, no município de Juína, a 734 km de Cuiabá.

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05