Funai lança Cartilha “Entendendo a PNGATI”

cartilhaentendendopngati1Ocorreu, nesta quarta-feira, durante a 6ª Reunião Ordinária do Comitê Gestor da PNGATI, na Sede da Fundação Nacional do Índio, em Brasília, o lançamento da Cartilha "Entendendo a PNGATI".

 

A Publicação foi produzida no âmbito do Projeto "Demarcação e Proteção de Terras Indígenas", coordenado pela Funai, com apoio da GIZ, e tem como objetivo apresentar, em uma linguagem acessível, a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas – PNGATI, trazendo exemplos de iniciativas e experiências desenvolvidas em conjunto por povos indígenas, o Estado brasileiro e instituições e organizações parceiras.

 

Além disso, por meio da discussão dos objetivos e dos eixos temáticos, bem como do arranjo de governança e de implementação da PNGATI, pretende-se aproximar o texto da política às realidades das comunidades indígenas do Brasil.cartilhapngati2

 

Segundo Jaime Siqueira, Coordenador-Geral de Gestão Ambiental da Funai e um dos colaboradores da Cartilha, "o material detalha cada eixo da PNGATI, buscando apresentar exemplos de implementação da Política, trazendo uma série de exemplos e experiências com uma linguagem acessível. Ele servirá de apoio para qualquer iniciativa de formação e capacitação que for desenvolvida nas regiões".

 

Entender a PNGATI é o caminho para gestores públicos e indígenas trabalharem juntos em prol da sustentabilidade das terras indígenas brasileiras.

Destaques

class=

Um lugar onde se planta e colhe frutos - um pomar. Em língua xavante, Abahi Tebrezê é o nome do projeto abraçado há dois anos pelas mulheres indígenas Xavante, da Terra Indígena (TI) Pimentel Barbosa, MT. Trata-se de uma ação de resgate do conhecimento tradicional, a partir da revitalização do cultivo de batatas nativas. A ideia é, a longo prazo, amenizar - e até reverter - efeitos negativos das mudanças nos hábitos alimentares e a sedentarização causada pela introdução de alimentação industrializada na comunidade.

 

class=

O Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGen) deu ganho de causa ao povo Ashaninka no julgamento de um ato de infração da empresa Tawaya por usar indevidamente o conhecimento tradicional dos indígenas na fabricação...

class=Financiado com recursos do Banco Mundial, o Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável - Microbacias II distribuiu R$ 1,2 milhão para atividades produtivas em dez aldeias da Baixada Santista nos últimos quatro anos. O...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05