Grupo isolado do povo Korubo é contatado no Amazonas

korubo4O grupo de indígenas isolados é composto por 21 pessoas, entre adultos e crianças, da etnia Korubo. O contato foi estabelecido após indivíduos do povo Matis abordarem o grupo Korubo, enquanto este atravessava o rio Branco, em área próxima às aldeias matis, na Terra Indígena Vale do Javari, estado do Amazonas. O contato ocorreu no fim do mês de setembro.

 

Os isolados Korubo recém-contatados foram, em um primeiro momento, acompanhados por equipes da Funai e Sesai, em acampamento montado no local do contato visando a segurança e a proteção epidemiológica do grupo. Diante da situação, foi colocado em curso um Plano de Contingência para situações de contato com grupos isolados.

 

Tal Plano de Contingência consiste em minimizar os impactos negativos do processo inicial de contato por meio da implementação, de forma articulada, de ações de proteção à saúde e a promoção do diálogo intercultural. Nesse sentido, são mantidas, de forma permanente no local, equipes formadas por profissionais de saúde e indigenistas.

 

Os Matis empreenderam o contato ao se sentirem ameaçados com a presença dos isolados em áreas próximas à sua aldeia. Tal receio decorre das consequências de um encontro estabelecido em novembro de 2014, quando indígenas isolados Korubo do rio Coari se aproximaram das roças da aldeia matis Todowak e se estabeleceu um conflito entre eles, resultando na morte de dois indígenas Matis.korubo5

 

Após esse conflito, a Funai atuou no sentido de apoiar o deslocamento dos Matis da aldeia Todowak, localizada no rio Coari, para outra aldeia Matis no rio Branco, a aldeia Tawaya, a fim de garantir a segurança de ambos os grupos e evitar novos confrontos.

 

"A relação entre os Matis e os Korubo é marcada historicamente por disputas territoriais e pelo registo de conflitos interétnicos. Para evitar futuros conflitos entre esses grupos, a Funai acredita na intermediação e no diálogo. A Funai vem trabalhando nesse sentido ao realizar o monitoramento do território dos isolados e atuar com todos os esforços para garantir um bom atendimento aos índios recém contatados", explica Carlos Travassos, coordenador geral de Índios Isolados e Recém Contatados (CGIIRC) da Funai.

 

Com a possibilidade de um agravamento da situação, após o confronto registrado em novembro de 2014, a Funai realizou uma reunião com os Matis, em fevereiro de 2015, com o objetivo de acordar condutas e nivelar entendimentos sobre estratégias de ação para evitar novas confrontações. Os Matis deixaram clara sua visão de que a Funai deveria realizar o contato com os Korubo isolados.

 

No entanto, a Funai, em razão de suas diretrizes de atuação com os indígenas isolados, compreende que a opção de se estabelecer o contato não pode ser definida por uma visão unilateral. A própria reação violenta dos Korubo frente aos Matis, no episódio de 2014, sinaliza, por parte dos isolados, uma rejeição quanto a uma aproximação de outros grupos ao seu território.

 

A política da Funai para os povos indígenas isolados respeita a vontade de isolamento dos povos nessa situação, uma vez que a Constituição de 1988 reconhece a organização social, os costumes, as línguas, as tradições, ou seja as diferenças culturais dos povos indígenas, assegurando-lhes o direito de manter sua cultura, identidade e modo de ser. Dessa forma, a Funai entende que é dever do Estado brasileiro garantir a sua proteção e o respeito ao seu isolamento voluntário.

 

Trabalho da Funai na regiãokorubo7

 

A Funai atua de forma sistemática na região do Vale do Javari, área com 16 registros de grupos isolados. A Terra Indígena Vale do Javari teve seus estudos publicados pelo órgão em 1998 e foi homologada pela Presidência da República em 2001, com 8.544.482 hectares. Está situada nos municípios de Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Jutaí e São Paulo de Olivença. Lá vivem indígenas dos povos Kanamari, Kulina, Matis, Marubo e Matsés, além de Korubo de recente contato e diversos grupos isolados.

 

Para prestar assistência e acompanhamento às demandas dos povos da região, a Funai possui duas unidades descentralizadas no Vale do Javari: a Frente de Proteção Etnoambiental Vale do Javari e a Coordenação Regional Vale do Javari, sediadas no município de Atalaia do Norte. No interior da terra indígena, ainda atuam cinco Coordenações Técnicas Locais e quatro Serviços de Proteção Etnoambiental, que se estabelecem em três Bases Avançadas de Proteção Etnoambiental distribuídas em locais estratégicos do território.

 

Destaques

class=A Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS) do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), em parceria com a Funai, promoveu, nos dias 30/11 e 1/12, em Brasília, o encontro Trabalho Social com Famílias...

class=Cerca de trinta indígenas do povo Xavante apresentaram, na última quinta-feira (24), o Plano de Gestão Territorial e Ambiental (PGTA) da Terra Indígena Marãiwatsédé, localizada no estado do Mato Grosso. O evento foi...

CinemaXavanteO evento, que acontece de 30 de novembro a 3 de dezembro, em Barra do Garças (MT), tem o objetivo de promover e divulgar a produção audiovisual feita pelo ou sobre o povo Xavante. Serão quatro dias de reflexão, formação e...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05