Exposição do Arquivo Nacional resgata memória dos povos indígenas

exposicaoRio de Janeiro, 8/6/17 – No encerramento da 1ª Semana Nacional de Arquivos, o Arquivo Nacional irá promover o debate sobre o resgate das memórias dos povos indígenas e dos movimentos negros e LGBTs. Na programação desta sexta-feira (9), será lançada a exposição Itinerários Indígenas, com imagens inéditas. A mostra está organizada em dois módulos, com 200 documentos, entre reproduções e originais de acervos públicos e privados, compreendidos entre os séculos XVI e XX. Membros da Aldeia Maracanã participarão da abertura da exposição.

 

Durante a roda de debates, haverá uma homenagem à pesquisadora e ativista Maria Beatriz Nascimento, que doou seu acervo pessoal ao Arquivo Nacional. Representantes da Marcha das Mulheres Negras e o ativista Frei David estarão presentes.

A cerimônia contará com a exibição do filme "ÔRÍ" (1989, 131 min.), dirigido pela socióloga e cineasta Raquel Gerber. O filme, narrado pela própria Beatriz, apresenta sua trajetória pessoal como forma de abordar a comunidade negra.

No fim do dia, a peça "Dandara através do espelho", do Grupo de Montação, e direção de Diêgo Deleon, propõe um debate sobre a representação do corpo trans na arte. A obra autobiográfica foi criada a partir do diário da atriz Dandara Vital, com a combinação dos dispositivos da Linguagem Cinematográfica e do Teatro Documentário.

Exposição sobre povos indígenas

A exposição Itinerários Indígenas engloba documentos relativos a etnias, rituais, regiões, narrativas de viagens, economia e política. O contato entre europeus e indígenas emerge no acervo do Arquivo Nacional nas narrativas de viagens e gravuras reunidas em livros que circulam desde o século XVI. A mostra traz correspondência da Coroa portuguesa em manuscritos, decretos imperiais e Constitucionais, datados 1934. Muito desse material será exibido ao público pela primeira vez, como álbuns de missões religiosas e do Serviço de Proteção aos Índios na primeira metade do século XX.

A partir dos anos de 1930, esses percursos receberam a cobertura jornalística de um dos mais importantes periódicos brasileiros: o Correio da Manhã. Os arquivos guardam fotografias de estúdio de índias Bororo e as imagens dos Xavante no final da década de 1940, além da atividade de campo dos irmãos sertanistas Villas-Boas e as iniciativas de aproximação entre presidentes e povos indígenas, como o encontro de Getúlio Vargas e um grupo Xavante no Catete pelas lentes da Agência Nacional.

Completa a exposição o vídeo Descaminhos, elaborado a partir de filmes e fotografias de várias épocas. As imagens mostram a vida dos indígenas desde a chegada dos europeus até as imagens e vozes contemporâneas de índios que descrevem a imensa dificuldade em enfrentar grandes empresas e latifundiários em busca de segurança e sobrevivência.

Serviço

Abertura: 9 de junho
Horário: 11h
Período: 12 de junho a 30 de setembro (de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h)
Endereço: Praça da República 173, Centro. Rio de Janeiro
Curadoria: Claudia Beatriz Heynemann | Maria Elizabeth Brea
(21) 2179-1256

Visitas orientadas e atividades educativas devem ser agendas pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

C
om informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública

Destaques

class=O turismo é um setor da economia com muitas especificidades. Para se tornar uma atividade exitosa, na maior parte das vezes, depende da história, cultura e tradição de cada povo. As narrativas e peculiaridades de uma...

predio.jpgA nomeação de Rogério Guimarães para atuar na Diretoria de Administração e Gestão (DAGES), na última quinta-feira (14), completa a formação da nova equipe de diretores da Funai. Indicados pelo presidente Franklimberg de...

class=Começa hoje (20), no Rio de Janeiro, o Seminário Internacional sobre Atuação Indígena em Pesquisas Colaborativas e Valorização de Conhecimentos, uma co-produção da People's Palace Project e da Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu (AIKAX) com apoio da Funai, via Museu do Índio, Queen Mary University of London e Fundação Planetário do Rio. Pesquisadores indígenas e não indígenas de dez países se reúnem entre os dias 20 e 22 de março para discutirem questões como o papel da academia na construção de narrativas que considerem saberes e costumes de povos tradicionais, criação de abordagens que incluam e respeitem os povos ancestrais e outros assuntos. 

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05