Sucesso da Roça das Mulheres será replicado em mais uma aldeia Kayapó

fundokayapoO projeto teve início há um ano. Frutificou, vai contribuir para a segurança alimentar da aldeia e promoveu a inclusão das mulheres em discussões e decisões. O sucesso de Menire Nhô Puro /Roça das Mulheres, 13 hectares geridos por 67 indígenas da aldeia Kayapó Capoto, no Mato Grosso, levou o cacique Raoni a solicitar a replicação da iniciativa.

 

 

A segunda Roça das Mulheres deverá ser criada na aldeia Metuktire, a 30 quilômetros da primeira, onde as 62 mulheres que nela vivem representam cerca de 22% da população. Passada a estiagem, a roça na aldeia Capoto recebeu duas mil mudas de banana e 100 de pequi, além de 610 árvores frutíferas. O excedente será vendido e gerará renda. O projeto, cujo nome oficial é Sustentabilidade Alimentar e Nutricional do Povo Mebengokré/Kayapó, é coordenado pelo Instituto Raoni e tem apoio do Fundo Kayapó.

 

"A roça comunitária dá grande visibilidade às mulheres e modificou o dia a dia na aldeia: anteriormente as reuniões eram feitas somente com a participação dos homens. Agora elas também participam e ganharam voz nas decisões", conta Karina Paço, do Instituto Raoni, coordenadora do projeto.

 

Este ano, o projeto planeja também a produção de excedente para comercialização e geração de renda. E ainda, uma nova roça para produção de arroz e o início da produção de sal nativo vegetal a partir de aguapés.

 

Numa primeira etapa, em 2017, mulheres e crianças participaram de oficinas em torno de conceitos como segurança alimentar. Além do Fundo Kayapó, o Instituto Ekos Brasil apoia essa iniciativa, que beneficia mais de 600 indígenas da região.

 

Fonte: Fundo Brasileiro para a Biodiversidade

Destaques

class=Representantes de 30 Coordenações Regionais, Museu do Índio e Sede da Funai participaram do "Seminário de Encerramento do Exercício 2018", em Brasília, na última terça-feira (11). Realizado pela Coordenação-Geral de...

class=

 

As experiências e iniciativas sustentáveis de geração de renda empreendidas pelos Kĩsêdjê chamaram a atenção dos Xavante (autodenominados A'uwẽ) que, para conhecê-las, empreenderam uma viagem de quase 600 km, promovida pela Coordenação Regional Xavante na primeira semana de dezembro.

class=O indigenista Fernando Schiavini, o repórter Rubens Valente e o antropólogo e professor universitário Henyo Barreto foram alguns dos nomes que abrilhantaram a II Semana Indigenista da Funai entre os dias 3 e 7 de dezembro.

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05