Cinema indígena ganha mostra exclusiva no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

 

 

 

17/09

19h: Mostra Territórios Audiovisuais Indígenas, com A última volta do Xingu (documentário, 35 min, 2015, PE, livre), de Kamikia Kisedjê e Wallace Nogueira; e O jabuti e a anta (documentário, 70 min, 2016, SP, livre), de Eliza Capai.

18/09

19h: Mostra Territórios Audiovisuais Indígenas, com ATL 2017 (documentário, 7 min, 2017, DF, 10 anos), de Edgar Xakriabá; e Bandeiras (documentário, 95 min, 2018, SP), de Renato Batata.

 

Com informações de Paó Comunicação

 

 

Destaques

Paresi agredido em MTEm São Carlos/SP nesta segunda-feira (18), a secretária nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Sandra Terena, visitou indígena que teve o...

class="O indígena é livre e tem espontânea vontade para fazer o que quiser." A frase do Karapanã, de apenas 13 anos, retrata com perfeição a inusitada vida que leva e o faz destaque na nossa página neste dia 19, Dia do...

class=Pangùbàà panzanì mene mangà panbàt pìt tikìà. Numa tradução aproximada do tupi-mondé, a oração que abre essa matéria quer dizer: estudar é o melhor caminho a seguir. Seja na língua materna do Povo Cinta Larga ou em português, alcançar o conhecimento é expandir possibilidades. Com esse pensamento, jovens dessa etnia começaram a frequentar os cursos técnicos de Meio Ambiente, Comércio e Agropecuária do Instituto Federal do Mato Grosso, no município de Juína, a 734 km de Cuiabá.

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05