Esforço coletivo reconstroi instância de gestão compartilhada em Manaus

comite regional

 

A eficácia das ações da Funai nas áreas atendidas pela Coordenação Regional (CR) Manaus será ainda maior em 2019. O esforço de indígenas e servidores pela reinstalação do Comitê Regional, entre os dias 17 e 19 de dezembro, trouxe novamente à coordenação a possibilidade de definir, analisar e avaliar cada uma das futuras ações de maneira representativa e compartilhada.

 

Além das lideranças dos povos Mura, Tukano, Sateré Mawé, Hexkariana, Munduruku, Wai-Wai, Waimiri Atroari, Kocama, Ticuna, Apurinã e Baré, estiveram presentes no evento de reinstalação do comitê representantes da Coordenação dos Povos Indígenas de Manaus e Entorno (COPIME), da Organização dos Povos Indígenas Torá, Tenharim, Apurinã, Mura e Parintintin e Pirahã (OPITTAMPP), da Procuradoria Federal Especializada e servidores da Coordenação Regional, da Frente de Proteção Etnoambiental Waimiri Atroari e da sede da Funai em Brasília.

 

Os 30 povos indígenas atendidos pela coordenação regional estão representados na instância por 15 indígenas titulares e 15 suplentes, escolhidos pelas lideranças presentes, enquanto a Funai é representada por 15 servidores titulares e 15 suplentes, mantendo a paridade exigida na formação de comitês regionais.Manoel Garcia

 

Manoel Garcia, indígena do povo Mura e membro titular do comitê regional, vê a reinstalação do comitê como uma primeira ação de transparência: " Nós vamos poder acompanhar a aplicação de recursos. Sabemos que a Funai trabalha de maneira correta, mas é importante estarmos juntos, discutindo, vendo, de fato, onde os recursos estão sendo aplicados, como as coisas estão acontecendo." Ao se declarar feliz por poder representar os povos indígenas da calha do Rio Madeira, Garcia acrescenta: "é uma grande oportunidade e demonstração de respeito. Ao longo desses anos temos trabalhado e reivindicando nossos direitos junto às instituições e a escolha mostra que eles têm acreditado no meu trabalho."

 

 

Desafios geográficos

 

A CR Manaus está localizada na proximidade do encontro das águas do Rio Negro com o Solimões, na referida cidade de Manaus. O pólo aglutina seis calhas culturais distintas, englobando indígenas desde a cidade de Oriximiná, no Estado do Pará, chamada de calha do Baixo Amazonas, do Madeira, do Baixo Rio Negro, do Baixo Solimões, do Baixo Rio Purus e o eixo da BR 174. A região está ricamente povoada por aproximadamente 82 mil indígenas pertencentes a 30 etnias.

Destaques

class=

 

Há menos de 20 dias do início de 2019 e algumas instituições de ensino superior do país já estão envolvidas em diferentes fases dos processos seletivos específicos para admissão de alunos indígenas. Encerram hoje (18) as inscrições para o Vestibular 2019 do curso de Licenciatura Intercultural Indígena - Teko Arandu da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

class=

 

Nomeado pelo Diário Oficial da União (DOU) nessa quarta-feira (16), o presidente da Fundação Nacional do Índio, Franklimberg de Freitas, tomou posse hoje (17) no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A ministra Damares Alves fez questão de ressaltar que a nomeação de Freitas não se deve a nenhuma indicação política, mas ao seu perfil técnico e sua paixão pela causa indígena.

class=O general do Exército Brasileiro Franklimberg de Freitas reassumiu a presidência da Fundação Nacional do Índio nessa quarta-feira (16). A nomeação foi publicada na edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Freitas, que toma posse hoje, pediu exoneração do cargo em abril de 2018, após presidir o órgão por quase um ano.(Acompanhe aqui parte do trabalho desenvolvido por ele durante o período em que presidiu a Funai).

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05