Em apoio à Funai, Polícia Federal apreende quatro suspeitos de extração ilegal de madeira em terra indígena no Mato Grosso

madeira apreendidaNo última sexta-feira (5), em apoio à Funai, a Polícia Federal deslocou efetivo para o interior da Terra Indígena (TI) Urubu Branco, localizada nos municípios de Confresa, Luciara e Porto Alegre do Norte, no Estado do Mato Grosso. Diante das denúncias da ocorrência de desmatamento ilegal no interior da TI, a polícia conteve quatro suspeitos apreendidos em flagrante.

 

A extração ilegal de madeira era realizada no interior da terra indígena a partir de acampamento instalado pelos suspeitos. Foram localizadas diversas toras de pau-brasil recém-cortadas e apreendidas quatro motosserras utilizadas na atividade ilegal. acampamento 2

 

A Terra Indígena Urubu Branco, homologada por Decreto Presidencial de 08 de setembro de 1998, é destinada ao usufruto exclusivo do povo Tapirapé. A Funai monitora a situação ambiental da área e, de acordo com a Coordenadora-Geral de Monitoramento Territorial (CGMT), Andréa Martucelli, tratativas interinstitucionais em âmbito nacional já começaram a ser realizadas no intuito de definir ações para coibição de ilícitos dentro da TI. 

A Polícia Federal tem sido grande aliada da Funai na proteção da terra indígena, conduzindo investigações com vistas a desmantelar os esquemas de ocupação e exploração ilegal na terra indígena.

Suspeitos apreendidos


Coordenação-Geral de Monitoramento Territorial 

Destaques

class=

Preconceitos e estereótipos contra povos indígenas podem ser vencidos desde cedo e a escola tem relevante papel nessa contribuição à sociedade. Em Altamira, a partir da parceria entre a Coordenação Regional (CR)...

equipe

Terminou na última sexta-feira (19), na aldeia Cartucho, município de Santa Isabel do Rio Negro (AM), divisa com a Colômbia e a Venezuela, mais uma etapa do Programa Sesai em Ação: Saúde Indígena Brasil Adentro!, que tem como objetivo apoiar a oferta de ações complementares à atenção básica e especializada de saúde em áreas de difícil acesso geográfico em benefício da população indígena, evitando, assim, o deslocamento de famílias para tratamento em centros urbanos. Este ano, o projeto, em parceria com a Funai, atendeu as 23 etnias indígenas que abrangem a jurisdição da Coordenação Regional do Rio Negro, incluindo os Yanomami.

class=A Funai prorrogou a data de entrega das propostas da Chamada Pública nº 001/2019 para o dia 26 de abril. Serão beneficiadas aldeias indígenas próximas aos municípios de Marabá e Itaituba (PA), Tabatinga (AM), Palmas (TO) e Imperatriz (MA). Os recursos para a instituição que será selecionada somam o total de R$ 500 mil.

 

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05