Seleção Indígena de Futebol visita Funai em Brasília e ganha apoio do presidente Franklimberg de Freitas

futebol cp ed"O futebol é o momento de construir a paz, uma paz que a gente precisa", disse o técnico da recém-fundada Seleção Indígena de Futebol do Brasil e das Américas (SIFBA), José Geraldo Tremembé. Dirigentes da seleção se reuniram com o presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, na sede da Fundação em Brasília-DF.

 


A visita à Funai aconteceu no dia 16 de maio, mas os dirigentes da Seleção Indígena de Futebol retornaram à capital federal no dia 21 para se reunirem com a Secretaria Nacional de Futebol e Direitos do Torcedor, do Ministério do Esporte. Em carta apresentada aos órgãos federais, o presidente da SIFBA, Vilson Francisco Terena, afirma que o "objetivo da seleção é a busca de autonomia própria, no campo da política esportivo indígena (...) a favor dos atletas indígenas das seleções de futebol masculina e feminina".

Conforme explica Vilson Terena, as reuniões com o presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, e com o secretário Nacional de Futebol, Ronaldo Lima, visam à "organização do primeiro torneio internacional de seleções indígenas, que provavelmente será realizado em São Gabriel da Cachoeira-AM nos meses de outubro ou novembro deste ano. Os protagonistas serão os povos indígenas", salienta o presidente da SIFBA. Para o torneiro serão convidadas seleções indígenas da Colômbia, Venezuela e Peru.

Esporte democrático

Também está prevista a promoção de torneios para mulheres indígenas que praticam o esporte. De acordo com Vilson Terena, "outros eventos serão realizados conjuntamente pela seleção masculina indígena e a seleção feminina indígena, pela qual existem pessoas responsáveis: as indígenas Marinildes Pires Kariri-Xocó e Ayri Gavião, que irão coordenar a formalização e a convocação da seleção indígena feminina", destaca.

fut b edEm relação à primeira convocação da seleção masculina, os dirigentes optaram por Brasília ser a sede da concentração da equipe, antes do torneiro internacional. "Nós teremos provavelmente um apoio do Exército. E estamos dialogando com várias instituições juntamente com a Presidência da República, a Funai e a Secretaria Nacional de Futebol", ressalta Vilson Terena.

Durante entrevista na Assessoria de Comunicação Social da Funai, os dirigentes da Seleção Indígena apresentaram o potencial de integração da modalidade, que é praticada em todas as aldeias indígenas espalhadas pelo país. "A gente reconhece que o futebol é um esporte universal. Chega até nos indígenas semi-isolados, e principalmente os indígenas que estão integrados com a sociedade envolvente. Em cada aldeia existe um time indígena, mesmo jogando com a maior dificuldade, sem chuteiras", afirma Vilson Terena.

A iniciativa de se constituir uma seleção com integrantes indígenas partiu de representantes dos povos Terena, Tukano, Tremenbé, Xerente, Kariri-Xocó, Mainaku e Gavião. Fundada em 26 de outubro de 2018 na Reserva Indígena Kariri-Xocó, Distrito Federal, a Seleção Indígena obteve o registro oficial do 1º Ofício de Registro Civil no dia 14 de dezembro do mesmo ano.

(continua na página 2)

Destaques

class=(Sorriso-MT, 18/09/2020) O Governo Federal entregou nesta sexta-feira (18) 1.665 Títulos de Domínio (TD) para famílias de agricultores assentados de Mato Grosso. A cerimônia contou com a presença do presidente Jair...

class=Em parceria com o Museu do Índio, o Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) convida crianças e adolescentes indígenas, entre 3 a 15 anos, a mostrar o seu talento e criatividade para participar da montagem da...

class=O canal do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) no Youtube realiza no próximo sábado (19), às 16h, a live 'O Céu Tikuna em Movimento'. A Live apresenta as interpretações do céu pela etnia Tikuna, trazendo um olhar diferente da astronomia ocidental.

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05