Seleção Indígena de Futebol visita Funai em Brasília e ganha apoio do presidente Franklimberg de Freitas

futebol cp ed"O futebol é o momento de construir a paz, uma paz que a gente precisa", disse o técnico da recém-fundada Seleção Indígena de Futebol do Brasil e das Américas (SIFBA), José Geraldo Tremembé. Dirigentes da seleção se reuniram com o presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, na sede da Fundação em Brasília-DF.

 


A visita à Funai aconteceu no dia 16 de maio, mas os dirigentes da Seleção Indígena de Futebol retornaram à capital federal no dia 21 para se reunirem com a Secretaria Nacional de Futebol e Direitos do Torcedor, do Ministério do Esporte. Em carta apresentada aos órgãos federais, o presidente da SIFBA, Vilson Francisco Terena, afirma que o "objetivo da seleção é a busca de autonomia própria, no campo da política esportivo indígena (...) a favor dos atletas indígenas das seleções de futebol masculina e feminina".

Conforme explica Vilson Terena, as reuniões com o presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, e com o secretário Nacional de Futebol, Ronaldo Lima, visam à "organização do primeiro torneio internacional de seleções indígenas, que provavelmente será realizado em São Gabriel da Cachoeira-AM nos meses de outubro ou novembro deste ano. Os protagonistas serão os povos indígenas", salienta o presidente da SIFBA. Para o torneiro serão convidadas seleções indígenas da Colômbia, Venezuela e Peru.

Esporte democrático

Também está prevista a promoção de torneios para mulheres indígenas que praticam o esporte. De acordo com Vilson Terena, "outros eventos serão realizados conjuntamente pela seleção masculina indígena e a seleção feminina indígena, pela qual existem pessoas responsáveis: as indígenas Marinildes Pires Kariri-Xocó e Ayri Gavião, que irão coordenar a formalização e a convocação da seleção indígena feminina", destaca.

fut b edEm relação à primeira convocação da seleção masculina, os dirigentes optaram por Brasília ser a sede da concentração da equipe, antes do torneiro internacional. "Nós teremos provavelmente um apoio do Exército. E estamos dialogando com várias instituições juntamente com a Presidência da República, a Funai e a Secretaria Nacional de Futebol", ressalta Vilson Terena.

Durante entrevista na Assessoria de Comunicação Social da Funai, os dirigentes da Seleção Indígena apresentaram o potencial de integração da modalidade, que é praticada em todas as aldeias indígenas espalhadas pelo país. "A gente reconhece que o futebol é um esporte universal. Chega até nos indígenas semi-isolados, e principalmente os indígenas que estão integrados com a sociedade envolvente. Em cada aldeia existe um time indígena, mesmo jogando com a maior dificuldade, sem chuteiras", afirma Vilson Terena.

A iniciativa de se constituir uma seleção com integrantes indígenas partiu de representantes dos povos Terena, Tukano, Tremenbé, Xerente, Kariri-Xocó, Mainaku e Gavião. Fundada em 26 de outubro de 2018 na Reserva Indígena Kariri-Xocó, Distrito Federal, a Seleção Indígena obteve o registro oficial do 1º Ofício de Registro Civil no dia 14 de dezembro do mesmo ano.

(continua na página 2)

Destaques

class=Professores indígenas, crianças e anciões da Terra Indígena Kwatá Laranjal participaram da 3ª Oficina do Projeto Ya'õ Etabeg de revitalização da língua Munduruku. O principal objetivo da iniciativa é expandir o ensino...

class=Os Karajá das aldeias Fontoura e Santa Isabel do Morro deram o primeiro passo para a implantação do manejo participativo de pirarucus na Ilha do Bananal (TO). Entre os dias 1º e 7 de agosto, foram realizados cursos voltados...

class=Em apenas 20 dias como presidente da Funai, Marcelo Xavier já recebeu na sede do órgão, em Brasília, mais de 200 indígenas de várias etnias do país. Entre as principais demandas, as lideranças reivindicaram qualidade do...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05