Diretores e professores indígenas do Oiapoque debatem regionalização da alimentação escolar

oficina 3

Com apoio da Funai e parceria de diversas instituições, a Organização dos Professores Indígenas do Município de Oiapoque (OPIMO) promoveu oficina voltada ao debate da regionalização da alimentação escolar indígena. Durante o evento, que ocorreu entre 10 e 13 de julho, no Oiapoque-AP, professores e diretores de escolas indígenas dos povos Galibi-Marworno, Karipuna, Palikur e Galibi-Kalinã protagonizaram as discussões em que reivindicam o respeito aos costumes e hábitos alimentares tradicionais na escolas das aldeias.

 

A exigência da comunidade educacional indígena é explicada por Izabel Gobbi, antropóloga da Coordenação-Geral de Promoção da Cidadania (CGPC) da Funai. "Os povos indígenas têm pedagogias próprias e processos específicos de ensino e aprendizagem, sendo que os hábitos alimentares, as práticas e conhecimentos associados são parte fundamental desses processos". O atendimento à reivindicação é viável e respaldado pela Lei n° 11.947/2009, que define 30% do recurso do Fundo Nacional de Educação (FNDE) repassado a estados e municípios para aquisição de alimentos provenientes da agricultura familiar local. Diante disso, a Coordenação Regional Amapá e Norte do Pará, CGPC, Coordenação-Geral de Etnodesenvolvimento (CGETNO) deram suporte à OPIMO, a partir do financiamento e construção das oficinas e articulação com instituições competentes.

 

Sonia Anika

Sônia Anika, presidente da Opimo e professora, define o significado do evento para a construção de uma educação escolar indígena específica, diferenciada e de qualidade: "Essa oficina é muito importante porque traz informações boas para as escolas e para melhorar a educação indígena em si. Foram trazidas informações que a gente não sabia, principalmente sobre o caixa escolar. Aprendemos muito nessas oficinas. Elas possibilitam a troca de conhecimento e fortalecimento das comunidades sobre a cultura e identidade desses povos do Oiapoque."

 

Durante quatro dias, foram abordados temas como o contexto atual da alimentação escolar indígena nas escolas do Oiapopque, prestação de contas do Estado e dos municípios ao FNDE, implementação da Política Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), respeito à Convenção n° 169, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), diretrizes da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PNGATI), criação de cardápio específico e diferenciado, debate sobre mapeamento e calendário agrícola, construção de projeto de venda e chamada pública, entre outros.

oficina 8

Segundo Douglas Souza, indigenista da Coordenação-Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento (CGETNO), a unidade, em conjunto com a CGPC, tem apoiado o imprescindível diálogo entre instituições e indígenas, já que, em muitas regiões do país, a especificidade da nutrição dos povos originários não é respeitada e a distribuição de alimentos industrializados tem gerado profundo impacto em suas culturas.

 

"A princípio, as crianças rejeitam esses alimentos, mas como são mantidos nas escolas, passam a ser consumidos. Depois de um tempo, elas começam a rejeitar os hábitos alimentares tradicionais, o que gera choque cultural e crise social de identidade dentro das comunidades indígenas, uma vez que a alimentação envolve outros processos culturais e não só a ingestão do alimento em si", alerta Souza.

 

Continua na próxima página

Destaques

class=Professores indígenas, crianças e anciões da Terra Indígena Kwatá Laranjal participaram da 3ª Oficina do Projeto Ya'õ Etabeg de revitalização da língua Munduruku. O principal objetivo da iniciativa é expandir o ensino...

class=Os Karajá das aldeias Fontoura e Santa Isabel do Morro deram o primeiro passo para a implantação do manejo participativo de pirarucus na Ilha do Bananal (TO). Entre os dias 1º e 7 de agosto, foram realizados cursos voltados...

class=Em apenas 20 dias como presidente da Funai, Marcelo Xavier já recebeu na sede do órgão, em Brasília, mais de 200 indígenas de várias etnias do país. Entre as principais demandas, as lideranças reivindicaram qualidade do...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05