[Série Estudo sobre o fogo] - Funai apoia pesquisadores e brigadistas indígenas em evento científico nacional

Imagem do estande credito Keyciane

A Funai participou da 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Campo Grande/MS. Entre os dias 21 a 26 de julho, pesquisadores, indígenas e representante do órgão indigenista promoveram o lançamento oficial do projeto Noleedi (fogo, no idioma Kadiwéu).

 

A iniciativa da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo/Ibama) visa estudar do efeito do fogo na Terra Indígena (TI) Kadiwéu, a partir da relação com padrões de inundação, e determinar em qual época ele é menos impactante para a biodiversidade. Para os pesquisadores, o conhecimento indígena sobre o território e a maneira como lidam com o fogo é muito importante para definir estratégias de gestão. O projeto teve início em janeiro deste ano.

Durante o evento da SBPC, um estande do Noleedi apresentou ao público áudios e vídeos, proporcionou conversas com pesquisadores e brigadistas, exibiu o artesanato Kadiwéu, bem como os instrumentos usados em campo, e promoveu oficina de cerâmica. O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, foi um dos visitantes do estande.

Noleedi Fernanda Prado

Parceria

Ao lado dos brigadistas indígenas, a equipe adentra as regiões de interesse. "O que fazemos é acompanhá-los nas áreas que escolheram e apoiá-los em algumas situações que não conhecem, como a identificação de determinadas plantas. Quando eles têm dificuldades, acabam perguntando para a gente. Na ausência deles, a brigada fica responsável pela área em que as pesquisas são realizadas, fazendo aceiro e protegendo a região", conta Mesaque Rocha, indígena e chefe de brigada há seis anos.

Mesaque acredita que o projeto também trará resultados às comunidades da TI Kadiwéu. "Esperamos que ao final, daqui a dois anos, possamos entender direito como funciona esse ecossistema, o cerrado pantaneiro, para ver se o fogo é ou não adequado a ele", comenta.
Brigadistas Kadiweu e Marcos Pontes

 

A Funai tem apoiado o projeto por meio da Coordenação Regional Campo Grande. Ao representar a instituição diante dos pesquisadores, a servidora Keyciane Pedrosa colabora com a expertise indigenista na compreensão sobre o universo e relações Kadiwéu.

"O foco da atuação da Funai no Noleedi é partilhar experiências e conhecimentos. Até porque esperamos que o projeto produza dados e informações científicas que contribuam também para o trabalho da Funai no Monitoramento e Gestão Ambiental da TI Kadiwéu, que é muito grande, com quase 540 mil hectares", explica Pedrosa.

Durante a Reunião Anual da SBPC, a indigenista apresentou ao público um pouco da história do território Kadiwéu e a relação entre a arte em cerâmica, o pau-santo e o projeto Noleedi.


ceramica kadiweuFogo, cerâmica e pau-santo

Para Danilo Bandini, professor do Instituto de Biociências da UFMS à frente da pesquisa, um dos pontos que tem interessado a equipe do Noleedi é a relação dos Kadiwéu com as plantas da região. "Uma parte do projeto é estudar o efeito do fogo na reprodução das plantas e escolhemos para estudo plantas utilizadas por eles para alimentação e outras atividades, como o artesanato", explica o pesquisador.

 

Continua na próxima página 

 

Destaques

class=Professores indígenas, crianças e anciões da Terra Indígena Kwatá Laranjal participaram da 3ª Oficina do Projeto Ya'õ Etabeg de revitalização da língua Munduruku. O principal objetivo da iniciativa é expandir o ensino...

class=Os Karajá das aldeias Fontoura e Santa Isabel do Morro deram o primeiro passo para a implantação do manejo participativo de pirarucus na Ilha do Bananal (TO). Entre os dias 1º e 7 de agosto, foram realizados cursos voltados...

class=Em apenas 20 dias como presidente da Funai, Marcelo Xavier já recebeu na sede do órgão, em Brasília, mais de 200 indígenas de várias etnias do país. Entre as principais demandas, as lideranças reivindicaram qualidade do...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05