Em São Paulo, ação em aldeias promove debate e testagem rápida de HIV e Sífilis

Agente de saude indigenaJovens Guarani de seis aldeias da Terra Indígena Jaraguá participaram de ação para prevenção de HIV e Sífilis. Além das rodas intituladas Conversaria sem Tabu, mais de 90 testes rápidos e abordagens em prevenção combinada para o HIV/Aids foram realizados.

 

A iniciativa, que ocorreu no último dia 27, é uma parceria do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids com a Coordenação Técnica Local (CTL) da Funai em São Paulo, Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo, Secretaria de Saúde Indígena e Unidade Básica de Saúde Indígena Kawarãy Djekupé.

A ação contou com a participação de jovens Guarani, agentes de saúde indígenas e educadores. Durante as rodas de conversa, as orientações relacionadas à prevenção combinada foram feitas em português e Guarani, simultaneamente.

O projeto foi aplicado pela primeira vez e a ideia é que outras ações de prevenção sejam estendidas às demais terras indígenas de São Paulo.

Analice de Oliveira, integrante da equipe técnica do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids, explica que a ideia parte do princípio do respeito ao conhecimento subjetivo da comunidade para realizar reflexões sobre a prevenção de infecções sexualmente transmissíveis, HIV e Aids. " Falar de prevenção a essas infecções é falar de sexualidade e isso, que é comum a todos os povos e todas as culturas, promove a autonomia dos corpos que passam a escolher melhores formas de prevenção para o seu cotidiano, por isso realizar essa ação com grupos de jovens indígenas é transformador", aponta a especialista.


Contexto

A Terra Indígena Jaraguá está localizada na região noroeste do município de São Paulo, bairro Vila Clarice. Atualmente são seis aldeias: Tekoa Ytu, Tekoa Pyau, Tekoa Itawera, Tekoa Itaendy, Tekoa Yvy Porã e Tekoa Itakupe.

Em 2017, uma parceria entre a Coordenação Estadual de IST/Aids de São Paulo e a Coordenação Técnica da Funai de São Paulo articulou a participação de 5 jovens lideranças Guarani na oficina nacional de prevenção combinada - região Sudeste , para pensar em estratégias de prevenção nas suas comunidades.

Desde então, ações específicas foram realizadas na Terra Indígena do Jaraguá como rodas de conversa com lideranças indígenas e profissionais de saúde da Unidade Básica de Saúde do território. Nesses encontros houve demandas específicas das juventudes para a realização de ação de testagem do HIV e Sífilis e Conversarias sem Tabu.

Testagem rapida

A população indígena é considerada como população prioritária para ações como essa, ou seja, faz parte das populações que apresentam vulnerabilidades aumentadas devido a situação de vida ou contextos históricos, sociais e estruturais que somados aos aspectos transversais podem se sobrepor e agravar fatores de risco e vulnerabilidade.

A Coordenação Estadual de IST/Aids em parceria com a Funai está se esforçando para intensificar ações de prevenção combinada adequadas à realidade indígena e ampliar os mecanismos de informação e de conhecimento sobre as diferentes intervenções da prevenção, através do alinhamento das abordagens de comunicação dos serviços indígenas de saúde locais e das instâncias municipais, regionais e nacionais.

"Ações como a realizada na TI Jaraguá fortalecem a articulação com instituições parceiras possibilitando o desenvolvimento de projetos com base nas experiências e necessidades das comunidades a partir de objetivos comuns", comenta Aline Batistella, indigenista especializada da CTL em São Paulo.


Assessoria de Comunicação/Funai

Com informações da CTL em São Paulo e da Coordenação Estadual de IST/Aids

Destaques

class=

Um lugar onde se planta e colhe frutos - um pomar. Em língua xavante, Abahi Tebrezê é o nome do projeto abraçado há dois anos pelas mulheres indígenas Xavante, da Terra Indígena (TI) Pimentel Barbosa, MT. Trata-se de uma ação de resgate do conhecimento tradicional, a partir da revitalização do cultivo de batatas nativas. A ideia é, a longo prazo, amenizar - e até reverter - efeitos negativos das mudanças nos hábitos alimentares e a sedentarização causada pela introdução de alimentação industrializada na comunidade.

 

class=

O Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGen) deu ganho de causa ao povo Ashaninka no julgamento de um ato de infração da empresa Tawaya por usar indevidamente o conhecimento tradicional dos indígenas na fabricação...

class=Financiado com recursos do Banco Mundial, o Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável - Microbacias II distribuiu R$ 1,2 milhão para atividades produtivas em dez aldeias da Baixada Santista nos últimos quatro anos. O...

 
 
 

acesso-informacao

banner 02

logo-ouvidoria

banner 04

banner 05